Ó meu Brasiiil

O Brasil iniciou a década de 60 com o fim do mandato de JK, Juscelino Kubitschek, a inauguração de Brasília, (a novacap construida por JK em 41 meses, que substituiu o Rio de Janeiro, a belacap, como nova capital federal a partir de 1960). E a eleição de Jânio Quadros como novo presidente da República.

Jânio tomou posse em janeiro de 1961 e sem base política para governar um país endividado, renunciou logo em seguida, em 25 de agosto de 1961. João Goulart, o Jango, seu vice, estava em missão na China e assumiu em setembro de 1961.

Maria Tereza Fontelle Goulart, mulher de Jango, encontrava-se na Costa Brava, Espanha, com os filhos, e esperava o marido para voltarem juntos ao Brasil, quando soube da renúncia de Jango.  Tornou-se  Primeira Dama com apenas 23 anos.

Era classuda e rivalizava em beleza com ninguém menos que Jacqueline Kennedy, primeira dama dos EUA.

Era discreta, mal aparecia nos comícios do marido, e motivo de orgulho e admiração para os brasileiros. Jânio nunca esclareceu o motivo de sua renúncia. Disse apenas, quando questionado anos depois, que foram “forças ocultas”, mas sabe-se que foi uma estratégia que se mostrou desastrosa, pois esperava alcançar maior apoio político e popular, jogando com o fato de que a opinião pública não permitiria a posse de João Goulart, seu sucessor, pois era visto como líder de uma “república sindicalista” que incendiaria o país.

Parece proposital o fato de que sua renúncia foi anunciada quando Jango fazia uma série de visitas a países comunistas, e estava na China nessa ocasião. Esse seria o princípio de um tempo cujo colorido dourado daria lugar à tonalidades cinzas, cinza escuro, que em breve seria chamado de “anos de chumbo”, um paradoxo ao que acontecia nos países desenvolvidos e que Eric Hobsbawn chamou de “A Era de Ouro”. Ele referia-se ao período positivo de crescimento pós 2ª Guerra Mundial, com apogeu nos anos 60 e só perfeitamente percebida pelos economistas efetivamente a partir dos anos 70 e décadas seguintes, as chamadas Décadas de Crise. Na década de 60, a economia mundial, principalmente os países desenvolvidos e capitalistas, crescia “a uma taxa explosiva”. Mas nos países do 3º Mundo, específicamente nos “países em recente industrialização” ( Leste europeu e alguns países da América Latina),  esse crescimento ocorreu depois da Era de Ouro, ou seja, depois de 1972. O fato é que em plena Guerra Fria, desde JK, o Brasil não estava “alinhado” às políticas norte-americanas. Foi um curto percurso até o golpe militar de 1964. Sem completar um ano de governo, Jânio não apoiou o bloqueio dos EUA a Cuba ; enviou Jango para visita a países da esfera de influência da URSS, Alemanha Oriental e China ; homenageou Fidel Castro ( que já havia sido homenageado por JK em 1959, no Rio de Janeiro ), e condecorou Che Guevara com a Ordem do Cruzeiro do Sul, a mais alta comenda do Brasil. ( v. Eduardo Bueno in, Brasil : Uma História, pg 354. Editora Ática).

Segundo Fernando Pedreira (in Março 31 – civis e militares no processo da crise brasileira. José Álvaro Editor, outubro 1964), o golpe militar de 31 de março de 1964, – cujo desfecho se deu em 9 de abril de 1964, com o Ato Institucional e a Intervenção no Congresso – teve respaldo ” de todo o movimento de opinião que antecederam a 31 de março e da profundidade e da radicalização a que chegara este movimento” (vide a “Marcha da Família, em São Paulo, levou às ruas cerca de 500.000 pessoas). “A revolta contra o governo João Goulart, longamente gestada e produto de impulsos diversos e até contraditórios, já há muitos meses ganhara raízes sólidas em amplos e importantes setores sociais, atingidos por uma onda de descontentamento e de insegurança que raiava o pânico”. Ainda segundo Fernando Pedreira, esses setores eram : 1 – As camadas decisivas da classe média, a começar das mais altas. 2 – Os fazendeiros e agricultores, aterrorizados por uma reforma agrária que era demagogicamente explorada, tanto pelo governo quanto pela oposição, nos termos mais violentos. 3 – Os grandes interesses do comércio e da indústria que, embora menos mal satisfeitos com a política financeira do governo, sentiam-se cada vez mais ameaçados pela sua política irresponsável, de estímulo a todo tipo de greves e à implantação de uma espécie de “república sindicalista”, cujos objetivos nem o próprio João Goulart parecia saber exatamente quais seriam.

É uma vasta história fartamente documentada de conspirações, atentados e contra-atentados, em Recife e na Guanabara, e preparativos para a luta armada, principalmente no campo, nos Estados de São Paulo, Goiás, Minas e Pernambuco ; crescimento da corrente militar oposicionista, que ” ganhou os escalões mais altos, encontrando apoio nos oficiais da Escola Superior de Guerra, da Escola de Comando e do Estado-Maior do Exército”, onde estava o próximo presidente, general Humberto Castelo Branco. O que frustraria as intenções de reeleição de JK para 1965. Naquele momento, a democracia, tal como existia entre 1945 e 1964, extinguiu-se. Nos anos 60, em apenas uma década, o Brasil teve 5 presidentes, 2 civis e 3 militares. Foram eles: Jânio Quadros, (1 de janeiro de 1961 a 25 de agosto de 1961); João Goulart (7 de setembro de 1961 a 2 de abril de 1964); Gal. Humberto de Alencar Castelo Branco ( 11 de abril de 1964, empossa em caráter provisório, e prorrogado até 15 de março de 1967); Gal. Artur Costa e Silva (15 de março de 1967 a agosto de 1969, quando sofreu um derrame e foi substituído por uma junta militar, que governou o país até 30 de outubro de 1969); Gal. Emílio Garrastazu Médici (30 de outubro de 1969 a 15 de março de 1974). E em 34 anos, apenas 2 presidentes da República, Gaspar Dutra e Juscelino Kubitschek, completariam seus mandatos até o fim e passaram o poder a seus sucessores através de eleições livres.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: