Mods e Rockers

Mais para a metade da década de 60 havia na Inglaterra duas fortes tendências de comportamento entre os jovens: os mods  e os rockers. Eu li as notícias que saíam aqui sobre aquelas pancadarias em campo aberto entre centenas de garotos, por volta de 1964. Os mods, abreviação de modernistas, eram os scooter boys, em suas lambretas e vespas estilosas (depois que a polícia tornou obrigatório o uso de espelhos retrovisores, colocavam até 30 espelhos por pura provocação),  gostavam de arte, black music, soul, R&B, ska jamaicano, a mistura básica do som beat, uma nova batida de recriação do rock.  Não tinham como ponto de partida o rock and roll norte americano, como os teddy boys e os rockers,  e vestiam ternos italianos justíssimos, já que muitos de seus integrantes eram ligados à famílias que comerciavam tecidos.

The Who, Small Faces, The Yardbirds, The Action (acima), eram mods. Seus ídolos eram os Beatles, os Rolling Stones, Marlon Brando, James Dean, Jack Kerouac, gostavam de jazz. Tinham um estilo mais fashion, cabelos estilo beatles, mais arrogantes, mais cínicos. Depois se dividiram entre os mods art school, mais intelectuais, e os hard mods, mais de rua, mais briguentos, com visual mais agressivo, com cabelo mais curto, botas e suspensórios de grifes famosas – que viraram os skin reds no final dos 60. O símbolo dos mods era o círculo tricolor da RAF (Royal Air Force) : a primeira cerca externa azul, a cerca interna branco e o centro vermelho. As brigas entre os mods e rockers  causavam pânico entre os  transeuntes e muitos estragos materiais. Os rockers eram uma espécie de Hell’s Angels ingleses. Usavam jaquetas de couro, gostavam de músicas dos anos 50, Elvis, Gene Vincent, Eddie Cochran. Os mods não gostavam dos rockers porque achavam que eram truculentos, machistas e antigos. Os rockers não gostavam dos mods porque ‘eram garotos de art school e com roupas efeminadas’. A cultura rocker era definitivamente masculina e agressiva, isto é, estava definitivamente fora de moda. A década era mod. “Get Off Of My Cloud” dos Rolling Stones, e “My Generation” do Who, são exemplos claros disso. Mods e Rockers eram facções que a princípio eram divididas por questões como roupas e estilo de vida e a separação cultural entre eles era motivo para batalhas campais, violentas e sangrentas. Com o advento hippie (mesmo bandas como The Who, não se mostravam mais como mod), essas facções perderam força e entraram em declínio. Voltariam, porém, com novos modelitos e até mais violentos, a partir do início dos 70.

Aqui está a lista essencial da discografia Mod :

The Who – The Who Sing My Generation

The Who – A Quick One

The Small Faces – Small Faces

The Creation – How Does It Feel To Feel

The Eyes – Blink

The Smokes – It’s Smoke Time

The Action – The Ultimate Action

John’s Children – Midsummer Night’s Scene

The Sorrows – The Sorrows

Various Artists – ‘Swedish’ Beat 1965-1968

3 Respostas to “Mods e Rockers”

  1. flavia Says:

    muito legal o texto

  2. […] This post was mentioned on Twitter by Stephanie Back, Taciane . Taciane said: https://anos60.wordpress.com/2008/01/03/mods-e-rockers/ "Seus ídolos eram os Stones, os Beatles, Marlon Brando, JAMES DEAN,Jack Kerouac(…)" […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: